Resenha: A Hora da Estrela

sexta-feira, 18 de março de 2016


 Sinopse: A história da nordestina Macabéa é contada passo a passo por seu autor, o escritor Rodrigo S.M. (um alter-ego de Clarice Lispector), de um modo que os leitores acompanhem o seu processo de criação. À medida que mostra esta alagoana, órfã de pai e mãe, criada por uma tia, desprovida de qualquer encanto, incapaz de comunicar-se com os outros, ele conhece um pouco mais sua própria identidade. A descrição do dia-a-dia de Macabéa na cidade do Rio de Janeiro como datilógrafa, o namoro com Olímpico de Jesus, seu relacionamento com o patrão e com a colega Glória e o encontro final com a cartomante estão sempre acompanhados por convites constantes ao leitor para ver com o autor de que matéria é feita a vida de um ser humano.


Ficha Técnica:
Autor: Clarice Lispector
Título: A Hora da Estrela
N° de páginas: 88
Editora: Rocco
Avaliação Final:  5/5   ♥♥♥♥♥ Favorito

Minha Opinião: Clarice tem o dom de me deixar sem palavras com seus livros. Ela melhor do ninguém, sabe escrever de tal forma que não se tem comparação. Sempre que termino um livro seu, fico agradecida por ter tido a oportunidade ler, de conhecer e porque não se identificar com o que está ali exposto em cada frase.

Por mais que fique uma sensação de pertencimento, ela consegue me deixar desconfortável. Às vezes eu me vejo em alguma passagem, algum detalhe do personagem, alguma frase, ato, pensamento. É isso assusta. Mais isso também ensina. E acho que é isso que Clarice sempre procurou entender, é pela necessidade de se conhecer verdadeiramente que ela escreve, pelo fato de não se entender que ela procura ser entendida.

Por mais que uma obra seja de ficção, por mais que um texto não seja baseado na própria vida do escritor é impossível não achar traços seus. Acabamos deixando marcas em tudo, e em se tratando de literatura, isso não seria diferente.

Rodrigo S. M. é nosso narrador. É ele que vai contar sobre a personagem principal da história, sobre a nordestina Macabéa. Sua história nem de longe é cheia de surpresas e acontecimentos, porém sua própria existência ou falta dela é que permeia a história.

Macabéa é datilógrafa, não tem ambição na vida, nem muito menos tem consciência de si nem reclamava de absolutamente nada. Não pensa sobre seu futuro, não fazia planos nem tinha ambição na vida ela apenas só se permite ser feliz.

Rodrigo ao mesmo tempo em que discorre sobre a vida de Macabéa também fala um pouco sobre si. Às vezes faz comparações ou mostra seu ponto de vista sobre determinadas coisas. Considero Rodrigo uma peça fundamente, pois sem ele não saberíamos da história de Macabéa.
A leitura me deixou desconfortável. Até porque mesmo sem querer admitir eu me identifiquei em certos pontos com Macabéa. Aliás, não tem como não se identificar com uma coisa ou outra. Como também às vezes fiquei indignada com as comparações que Rodrigo faz como, por exemplo:

“Ninguém olhava para ela na rua, ela era café frio”.       Pág. 27

Ninguém gosta ou aprecia um café frio. E pelo fato dela não ser notada e nem fazer com que isso mude me deixa consternada. Macabéa arruma um namorado, Olímpico que acabou trocando ela pela sua amiga de trabalho, Glória. Ele também dava pouca ou quase nenhuma importância para Macabéa, falava bastante de si, de seus sonhos e suas ambições.

Ao mesmo tempo em que Macabéa é nada ela se mostra sendo tudo. Por ser exatamente como é, por ter suas pequenas peculiaridades ela é gigantesca e avassaladora. Nem começo da história nem o final é a parte fundamental, mas sim o meio. Saber de sua trajetória até ali é essencial para que se tenha uma visão completa de sua vida, porém o fato principal não é esse e si o que ela se tornou ali, no meio. O final apesar de nefasto não é o desfecho, o desfecho é o meio. O enlace que te pega de jeito está ali, no centro.

Eu queria falar mais sobre a história, porém tenho receio de acabar com todo o encanto. Porque a sensação que senti enquanto lia, espero e desejo que quem o ler também sinta. Por isso, saber tão pouco da história é fundamental, o choque é bruto o que faz com que a história que não tem nada de encantador te fascine.

Macabéa aparentava saber tão pouco da vida, só que ao mesmo tempo ela sabia muito. Sabia o que era fundamental.

Mais ai você se pergunta: sendo essa uma história tão comum e banal porque tem esse encanto todo?

De fato, não saberia lhe responder.

Porém tenho um palpite. Talvez – só talvez – pelo fato da história ser tão ínfima que ela se mostra tão grandiosa. É digo mais, se ela fosse tão pomposa não seria bela, não teria tanto valor.

Clarice sempre se mostra grandiosa quando não tem pretensão de o ser. É isso você encontra facilmente em qualquer livro seu. Ela até tenta passar despercebida, mais nem se fosse um grão de areia conseguiria.

Ouso parafrasear o narrador Rodrigo quando diz: “A vida é um soco no estômago.” Pág. 83

A Hora da Estrela, ou melhor, Macabéa é que é um soco no estômago (explosão).


Espero que tenham gostado, um super beijo ;)

8 comentários:

  1. Olá!
    Tenho muita vontade de ler esse livro a teeempos. Adorei a sua resenha :)
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \o espero que o leia o quanto antes.
      Beijos

      Excluir
  2. Oii!
    Achei bem legal a resenha. Clarice é uma grande personagem (para mim)
    http://blogmichaelvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clarice é muito intensa, é muito amor ♥
      Beijos

      Excluir
  3. Oi :D
    Que delícia ler sobre esse livro por aqui.
    Já li outros livros da Clarice mas esse ainda não, quero muito!
    Bj


    @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \o estou firme no projeto de ler livros dela, já estou lendo outro e confesse que cada vez mais consigo ficar encantada pelos escritos dela.
      Beijos

      Excluir
  4. E cá está outro clássico esperando para ser lido... acredita que nunca tive a oportunidade de ler algo da Clarice Lispector?
    Ok, tirando aquelas frases de msn e facebook, sabe? HAHAHAHA
    Preciso mudar isso ainda esse ano!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi justamente por causa dessas frases que decidi ler os livros dela, e olha não me arrependi, por isso indico. Nem se compara ler frases soltas com o contexto todo em que ela foi inserido.
      Recomendo muito.
      Beijos.

      Excluir